Piscou, Cresceu!

 

Oi Gente Linda!
Tudo bem por aí?

Cinco erros mais comuns na hora de montar o guarda-roupa das crianças

Imagine a cena: Você saindo para um evento, precisa colocar a roupa na cria e aí escolhe aquela peça linda que a criatura só usou uma única vez. Quando veste na criança, a roupa não serve. Quantas vezes você já viveu isso? Eu vivi dezenas de vezes com a minha filha, a Carina. Muito comum considerando que as crianças crescem na velocidade em que a gente pisca!

E vamos combinar que não dá pra ter um guarda-roupa lotado porque além de nada sustentável, dinheiro não aceita desaforo. É aí que partimos para a criatividade e tentamos, de várias formas, driblar essa perda tão rápida de roupas.

O mês de junho é o mês em que comemoramos o dia Mundial do Meio Ambiente e não tinha como a gente deixar de falar desse assunto aqui quando pensamos em como montar um guarda-roupa inteligente para os nossos filhos.

Sempre me deparo com textos e orientações voltados para o guarda-roupa dos bebês. Mas existem poucas referências para ajudar a montar o guarda-roupa dos “pequenos maiores”. Então quero contribuir com um pouco da minha experiência até o momento, e te ajudar nesse desafio que é dar conta de vestir as crianças sem gastar muito.

Na hora de comprar roupa de criança, muitas vezes, vários erros são cometidos (eu mesma já cometi vários deles). Eu listei aqui os principais que observei ao longo dos meus primeiros anos de maternidade.

  • Comprar roupas em exagero: Comprar muita roupa é um erro comum. Se a gente fosse contar todas as peças que estão dentro do armário ficaríamos surpresos. E o pior, é que isso não garante um guarda-roupa versátil e inteligente e nem que a criança terá a roupa adequada para todas as ocasiões. É aqui que o dinheiro vai pro ralo porque como já se sabe, a criança cresce tão rápido que muitas vezes não vai ter nem tempo de usar tudo o que tem no guarda-roupa. Lembra da cena que eu descrevi lá em cima?
  • Comprar tamanho errado: Ok, vamos combinar que, em geral, criança odeia experimentar roupa e a gente acaba levando sem provar nelas. E tem também o fato de não existir uma padronização na numeração e tamanho das roupas, e isso confunde muito na hora de decidir entre um tamanho ou outro, pois de marca pra marca, a modelagem muda. Mas sair de casa pra comprar roupa sem saber o tamanho atual da criança pode render roupa parada no armário depois.
  • Comprar roupa para nós e não para eles: Quem nunca? É muito comum a gente reproduzir o nosso gosto ou estilo em nossos filhos, e se esquecer de perguntar para eles, se gostam ou não da peça. Sem contar que a roupa pode até ser deslumbrante, mas se pinicar ou restringir o movimento, eles não vão querer usar e com razão!
  • Não verificar a etiqueta de composição do tecido: Acho que esse é um dos erros mais clássicos e comuns. Olhar a etiqueta de composição antes de comprar a roupa ajuda a prevenir alergias e, principalmente, a cuidar melhor da roupa e evitar danos e desperdícios. Alguns tecidos pedem maiores cuidados, e se você não quer perder a sua roupa, cuide bem dela!
  • Comprar muitos sapatos: Esse erro poderia estar junto com o primeiro, mas merece um item a parte. Não adianta insistir, o sapato mais usado é aquele que vai pra escola, seja o tênis ou a sandália. Quem aí tira o sapato do filho assim que chega na festinha e o deixa descalço ou de meia antiderrapante pra brincar? Aqui, o menos é mais. Para as meninas é bem difícil resistir a tantos modelos lindos (e qual mulher não gosta de um sapato??). Ok, mas depois não vá ficar com dor no coração quando aquele sapato boneca lindo de viver sair do armário tendo sido usado uma única vez! O kit básico: tênis, sandália, sapato de festa e chinelo é infalível, dá e sobra.

E você? Quais os erros e dificuldades que já viveu na hora de compor o guarda-roupa dos filhos? Me conta? Eu vou adorar saber!

 

Um grande beijo da Gica!